12 de junho de 2015
Grand Place, em Bruxelas: linda e sempre repleta de turistas

Grand Place, em Bruxelas: linda e sempre repleta de turistas

Fiquei pouquíssimo tempo em Bruxelas – a cidade estava no “caminho” de outras coisas que estava fazendo na Europa -, mas me diverti. Claro que tomei as famosas cervejas belgas, comi o waffle belga e me lambuzei de chocolate belga, mas também fui à maior feira do país, visitei cafés bacanas e o quase enfartei de alegria no melhor mercado gourmet em que já estive. E tem até dica de um hotel moderno, super bem localizado, gostoso e com ótima tarifa.

Le Comptoir de Mathilde
Le Comptoir de Mathilde: marca francesa de excelentes chocolates, pastas, azeites...

Le Comptoir de Mathilde: marca francesa de excelentes chocolates, pastas, azeites…

Chocólatra, nessa cidade, entra em pane. Com lojas da Godiva, Neuhaus e Leonidas espalhadas por todo canto, Bruxelas é diversão pura – mas, cuidado, porque também não falta chocolate de má qualidade nomeado “100% belga”, típico pega-turista … Particularmente, acho sensacionais os da Dolfin (encontra-se em barras e caixinhas-degustação) e passei a gostar muito das criações rústicas do Le Comptoir de Mathilde.

A marca francesa vende excelentes produtos que vão de barras de chocolates à pastas artesanais de avelã com cacau, caramelo salgado e tals, marshmallows artesanais, azeites. Boa linha de produtos.

Mais infos, AQUI 

A La mort Subite
Dois dos rótulos servidos no bar da La Morte Subite

Dois dos rótulos servidos no bar da La Morte Subite

Bar/bistrô criado 1928, é a sede da cervejaria belga La Morte Subite. Bem menos turístico que o QG da Delirium Tremens, fica num belo prédio histórico conservado e também  serve rótulos de terceiros. Se cerveja for sua praia, aproveite para conhecer a Cantillon, que fica a poucos minutos de táxi do centro da cidade.

Mais infos, AQUI

Le Pain Quotidien
No berço da Le Pain Quotidien. Boa comida, bons preços, ingredientes orgânicos. Gosto bem

No berço da Le Pain Quotidien. Boa comida, bons preços, ingredientes orgânicos. Gosto bem

Cidade-natal da rede de produtos orgânicos Le Pain Quotidien – se você me segue no Instagram, sabe que gosto da proposta e da comida de lá e vou sempre nas unidades de São Paulo. Na Europa, acho um excelente ponto de conforto. Ali você vai encontrar bons pães, bons lanches e bons preços.

Mais infos, AQUI

Marché du Midi
Fim de maio a começo de julho é época de cereja na Europa. E que cereja!!

Fim de maio a começo de julho é época de cereja na Europa. E que cereja!!

Maior feira livre do país, o Marché du Midi rola apenas aos domingos, das 7h às 12h. Chegar lá é muito fácil: basta descer na estação de metrô Gare du Midi e andar pelas ruas laterais, lotadas de barracas com flores, frutas, vegetais, roupas, comidas, utensílios pra casa.

Tipo de lugar que provoca vontade incontrolável de ter uma cozinha, sair comprando tudo e passar a tarde no fogão…

Banca de flores do Marché du Midi

Banca de flores do Marché du Midi

Mais infos, AQUI

Peck 47
Excelente waffle com chourizo, bacon artesanal (um dos melhores que já provei), queijo de cabra cremoso, ovos poché e molho especial do Peck 47

Excelente waffle com chorizo, bacon artesanal (um dos melhores que já provei), queijo de cabra cremoso, ovos poché e molho especial do Peck 47

Café hype bem no centrão de Bruxelas, frequentado majoritariamente por locais, aberto aos domingos (coisa raríssima na cidade), com serviço moderninho (nem sempre simpático), ótimos sucos naturais e waffles MATADORES.  Recomendo com ardor este da foto: waffle com um dos melhores bacons artesanais que já provei, chorizo, queijo de cabra cremoso, ovos poché e molho especial. 

Mais infos, AQUI

Belga Queen
Ambiente do Belga Queen: o badalado, e caro, restaurante fica em prédio construiído no século 18.

Ambiente do Belga Queen: o badalado, e caro, restaurante fica em prédio construiído no século 18.

Lindo, caro, chique: o Belga Queen é o fine dining hype de Bruxelas, instalado no prédio já usado pelo Hôtel de la Poste e pelo Crédit du Nord Bank. O amplo menu foca em frutos do mar, obscenamente frescos. O bar tem estupenda carta de gin tônicas. Waffle com chocolate belga de confortar a alma.

Mais infos, AQUI

Rob Gourmet’s Market
A variedade de tomates do Rob Gourmet's Market

A variedade de tomates do Rob Gourmet’s Market

O melhor mercado gourmet em que já estive – mesmo contando Galerie Lafayette e Bon Marché, em Paris.

Completamente fora da rota turística – fica em área residencial abastada, a cerca de 15 minutos de carro do centro -, o Rob tem tudo o que faz qualquer apaixonado por comida surtar feito o demônio da Tasmânia: duas geladeiras de chocolate belga, vinte de tipos de meis, sete variedades de baunilha, imensa área de queijos e embutidos, hortifruti variado pacas e fresquíssimo, imensa estante de especiarias, invejável adega de vinhos, comidas prontas pra levar. Dá pra passar o dia, sem exagero.

Prateleira de mel de um dos melhores mercados gourmets em que já estive: mais de 20 tipos

Prateleira de mel de um dos melhores mercados gourmets em que já estive: mais de 20 tipos

Mais infos, AQUI

Hotel Bloom
Quarto amplo do bem localizado Hotel Bloom

Quarto amplo do bem localizado Hotel Bloom

Após uma pequena pesquisa online, cheguei ao Bloom e fiz minha reserva rapidinho. O hotel localiza-se numa área bem bonita, do Jardim Botânico, tem metrô a 200 metros e espaçosos quartos que parecem galerias de street arte: cada um deles possui parede pintada por um jovem artista europeu. A diária sai por cerca de 90 dólares.

Mais infos, AQUI