14 de dezembro de 2015
Tamal (espécie de pamonha mexicana) recheada com Cochinita Pibil no Mercado de Huanacaxtle

Tamal (espécie de pamonha mexicana) recheada com Cochinita Pibil no Mercado de Huanacaxtle

Quem leu meu primeiro post sobre a Riviera Nayarit (clique AQUI para ler) sabe o quanto eu queria conhecer o México –  há anos! Minha primeira incursão por lá, em novembro passado, foi neste lindo pedaço da costa do Pacífico do país. E estes dias aguçaram minhas lombrigas… Agora preciso ir para Cidade do México, Baja Califórnia e Oaxaca, áreas de riquíssima gastronomia.

Por do sol em Nuevo Vallarta

Por do sol em Nuevo Vallarta

No post anterior comentei sobre algumas regiões da Riviera Nayarit e o clima de cada uma: San Francisco, Sayulita e Litibú/Punta Mita. As outras não me impactaram tanto a ponto de escrever especificamente sobre elas (Nuevo Vallarta é a área dos grandes resorts, centro comercial, baladas; Bucerías, espécie de imensa feira hippie vendendo quinquilharias), por isso este post será diferente.
Aqui me atenho a três programas distintos, igualmente imperdíveis e que, claro, envolvem comida e bebida: Rincón Hidalguense, Mercado de La Cruz de Huanacaxtle e Festival Gourmet Internacional. Estando por lá, por favor, não deixe de ir a nenhum deles!

Água de cacau: amêndoas de cacau, água, leite de coco e baunilha. Tico de açúcar. Bate-se no liquidificador e coa-se. Tem quem ponha cardamomo. Bem bom.

Água de cacau: amêndoas de cacau, água, leite de coco e baunilha. Tico de açúcar. Bate-se no liquidificador e coa-se. Tem quem ponha cardamomo. Bem bom.

Café da manhã no Rincón Hidalguense
Café da manhã ao estilo mexicano: barbacoa (carne assada enterrada num buraco na terra) de cordeiro com tortillas feitas na hora. No Rincon Hidalguense, em Bucerías

Café da manhã ao estilo mexicano: barbacoa (carne assada enterrada num buraco na terra) de cordeiro com tortillas feitas na hora. No Rincon Hidalguense, em Bucerías

Principal refeição do dia do mexicano, o café da manhã pode chocar muitos brasileiros acostumados apenas com uma média e pão na chapa. A mesa matinal por lá conta com tortillas, abacates, sopas, caldos, carnes; ‘reforçado’ é pouco.

Então prepare o apetite e vá cedinho, durante a semana  (aos finais de semana a fila vira o quarteirão) ao Rincón Hidalguense, na região de Bucerías. Ali, serve-se a especialidade do estado de Hidalgo, a barbacoa de borrego. A técnica consiste em assar lentamente a carne do cordeiro no vapor criado ao se escavar um buraco na terra, cobri-lo com carvão em brasa e folhas de bananeira e terra.

Para começar o dia, no Rincon Hidalguense: tortilla artesanal com barbacoa de cordeiro. Também acompanha sopa de arroz e grão de bico feita com a gordura da carne

Para começar o dia, no Rincon Hidalguense: tortilla artesanal com barbacoa de cordeiro. Também acompanha sopa de arroz e grão de bico feita com a gordura da carne

As tortillas, fresquíssimas, são feitas à mão, na frente do cliente. De acordo com meu guia, o mais importante é que são usados apenas os grãos do milho para produzir a farinha, e não o milho todo, incluindo o bagaço (isto está se tornando muito comum no México, especialmente nas farinhas compradas em mercados, por baratear o custo). A diferença no sabor e textura é bem perceptível.

Prove a tortilla de carne de cordeiro – de suculência fenomenal – e o caldo feito com a gordura da carne, cenoura, cebola, arroz e grão de bico. Dá pra entender porque tem gente que come isso quase todo dia…

Mercado dominical em La Cruz de Huanacaxtle
 especialidade de Oaxaca, Tlayuda: massa de milho grande e mais seca e fina e crocante que a tortilla. Com frijoles, abobrinha, repolho, tomate, queijo de Oaxaca, cebola e, se quiser, grilos (chapullin)

Especialidade de Oaxaca, Tlayuda: massa de milho grande e mais seca e fina e crocante que a tortilla. Com frijoles, abobrinha, repolho, tomate, queijo de Oaxaca, cebola e, se quiser, grilos (chapullin)

O maravilhoso Mercado de Huanacaxtle acontece entre novembro e abril, apenas aos domingos, e está em sua sexta edição. As razões de ter me encantado tanto são simples: os produtores presentes são todos orgânicos; a comida, de várias áreas do México, é fantástica e barata; o artesanato, colorido e alegre; o visual do local, um alento.

Noni: fruto de uma árvore bastante comum no México, é famoso por ser considerado superalimento. Dizem que a bebida produzida à partir dele tem poderes de aumentar o número de glóbulos brancos

Noni: fruto de uma árvore bastante comum no México, é famoso por ser considerado superalimento. Dizem que a bebida produzida à partir dele tem poderes de aumentar o número de glóbulos brancos

Queijos mexicanos orgânicos no mercado dominical de La Cruz de Huanacaxtle

Queijos mexicanos orgânicos no mercado dominical de La Cruz de Huanacaxtle

Na beira do mar, ao lado da Marina de La Cruz de Huanacaxtle, o mercado é uma reunião de clima alegre, vento fresco, música boa e pequenos produtores sustentáveis. É possível comprar/provar café mexicano, queijos, tamales, tortillas, infusões sem açúcar, sanduíches, doces, pasta de amendoim, coquetéis… Na boa, passaria o dia todo ali. Felizona.

Mercado de La Cruz de Huanacaxtle visto da Marina

Mercado de La Cruz de Huanacaxtle visto da Marina

Festival Internacional Gourmet da Riviera Nayarit
Os melhores camarões da face da terra provavelmente estão neste pedaço do México!

Os melhores camarões da face da terra provavelmente estão neste pedaço do México! Servido na festa de encerramento do 21. Festival Internacional Gourmet

Em sua vigésima primeira edição, o Festival Gourmet homenageia a cultura gastronômica mexicana trazendo chefs de diversas partes do país e do mundo para cozinhar em dezenas de restaurantes de Puerto Vallarta, Tepic e da Riviera Nayarit.

o chef José Manuel Baños, do Pitiona Cucina de Autor, de Oaxaca: risoto de abobrinha com chicharrón de frango e escamoles, chamado de caviar mexicano. Ou, sendo clara: ovas de formiga. No restaurante Tuna Blanca

o chef José Manuel Baños, do Pitiona Cucina de Autor, de Oaxaca: risoto de abobrinha com chicharrón de frango e escamoles, chamado de caviar mexicano. Ou, sendo clara: ovas de formiga. No restaurante Tuna Blanca

Na Festa de encerramento do 22 Festival Internacional Gourmet da Riviera Nayarit tomei um dos drinques mais gostosos ever. E levava pimentão amarelo

Na Festa de encerramento do 22 Festival Internacional Gourmet da Riviera Nayarit tomei um dos drinques mais gostosos ever. E levava pimentão amarelo

Criado pelos chefs Thierry Blouet e Heinz Reize – que, ao se mudarem para o México, caíram de amores pela gastronomia do país -, o Festival acontece sempre em novembro e envolve desde menus especiais criados a quatro mãos até aulas, demonstrações e festas temáticas. Bem interessante.