Parador Casa da Montanha: imersão no sossego de Aparados da Serra

Vista da minha cama no Parador Casa da Montanha

Meu quarto do Parador Casa da Montanha: de frente ao rio, em meio a natureza.

Há alguns anos tenho vontade de conhecer o Parador Casa da Montanha, hotel instalado num dos cantos mais lindos do país,  Aparados da Serra. Sempre que via fotos de lá, ficava impressionada com a natureza majestosa e as instalações rústico/chiques/confortáveis do local. Este ano, a procura de tranquilidade, silêncio e um bocado de mordomia, decidi comemorar meu aniversário lá. Bela escolha.

Sacada à beira do rio do Parador Casa da Montanha

O majestoso Cânion Fortaleza, no Parque Nacional da Serra Geral

Os Parques Nacionais de Aparados da Serra e da Serra Geral ficam na divisa de Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Muito menos conhecidos do que deveriam, reúnem cânions deslumbrantes (paredões de rocha de mais de 800 metros de profundidade!) e matas Atlântica e de Araucária, numa mistura única.

Quartos do Parador Casa da Montanha: silêncio, natureza, conforto

Pasta com cogumelos colhidos na região: prato sazonal do Parador Casa da Montanha

O Parador Casa da Montanha fica na pequena cidade de Cambará do Sul, cerca de 15 minutos de carro do Cânion de Itaimbezinho e 35 minutos do Cânion Fortaleza. Bom dizer que você não vai ter muita vontade de sair do quarto – a vista da cama é um negócio! -, mas visitar os cânions é programa totalmente obrigatório até pra quem não ama caminhar: estar imerso naquela magnitude nos faz pensar além de nós e dos problemas cotidianos. Nos faz ter perspectiva. É terapia natural.

Descansando ao som do rio

Cânion Fortaleza, dentro do parque da Serra Geral, na divisa de Rio Grande do Sul e Santa Catarina

O Parador Casa da Montanha é destino para quem deseja sossego. Os quartos foram construídos defronte ao rio, unindo o melhor dos mundos: cama macia e paz de espírito. Comida é um ponto importante por lá: afinal, comer bem faz parte do descanso. Do meu, pelo menos…

Lasanha de cogumelos e queijo curado do Alma RS, restaurante do Parador Casa da Montanha

No restaurante, o Alma RS, a culinária do sul é servida em sistema de bufê durante do almoço (mais simples, sem tantas opções) e à la carne, no jantar. Como venho diminuindo o consumo de carne – algo abundante na gastronomia da região -, pedi a lasanha de cogumelos e, olha, recomendo bem. Imensa, cremosa, repleta de excelente queijo curado, serve até três pessoas. O Alma RS é aberto também a não hóspedes.

Bufê da café da manhã do Parador Casa da Montanha

Não há quadra, piscina ou academia: a área social é a natureza. Isso, pra mim, hoje em dia, é um tremendo luxo.
Ao longo da vida, meu conceito de luxo foi mudando.
Até os 30 anos, ainda era meio deslumbrada por restaurantes estrelados, hotéis cinco estrelas e grifes.
Hoje, aos 40 anos, luxo para mim é silêncio, água limpa, ar puro, comida boa e cama macia.
Luxo é a roupa que tanto gosto (e me faz sentir bonita) não ter sido feita por pessoas em situação análoga a escravidão.

Cânion do Itaimbezinho, no Parque Nacional de Aparados da Serra: 15 minutos de carro do Parador Casa da Montanha

Parte do bufê de almoço do Parador Casa da Montanha

Luxo é poder consumir alimentos sem veneno.
Luxo é não precisar ter carro.
Luxo é desejar menos (coisas/barulhos/rótulos/likes) para tentar ser feliz.
Luxo é um final de tarde ensolarado à beira do rio, ouvindo os passarinhos no Parador Casa da Montanha.

Comente

Seja bem-vindo, sua opinião é importante. Comentários ofensivos serão reprovados