5 de agosto de 2016
Vencedor de um prêmio inventado por ele

Vencedor de um prêmio inventado por ele, jamais realizado pela AVPN, Marcio Serafim diz que fez isso para “impulsionar sua carreira”

Você entra numa pizzaria em São Paulo e dá de cara com um quadro da Associazone Verace Pizza Napoletana. Bacana! Sempre legal poder provar algo que foi declarado patrimônio cultural pela Unesco. No caso, a pizza napolitana.

Daí, uns passos mais pra frente, você vê um pôster no qual o pizzaiolo ostenta, todo orgulhoso, o título de ‘melhor pizzaiolo de São Paulo e segundo melhor do Brasil’, outorgado pela mesma AVPN.

Orgulhosos, um dos proprietário da pizzaria e o pizzaiolo mostram o certificado de autenticidade de Verace Pizza Napoletana: o detalhe é que ele foi falsificado

Orgulhosos, um dos proprietário da pizzaria e o pizzaiolo mostram o certificado de autenticidade de Verace Pizza Napoletana: o detalhe é que ele foi falsificado

Seria motivo de orgulho e respeito, se fosse verdade: mas não é. Marcio Serafim – que trabalha na Pizzatto Pizzaria, em Santana – não só falsificou a placa da AVPN como deu a si mesmo o prêmio de um concurso que não existe.

O assunto chegou até mim pelo pessoal da AVPN, que conheci durante minha estada em Nápoles (que se tornará uma série de vídeos do meu canal de YouTube, o #PorTrasDaKg), há dois meses.
Um representante da AVPN notou a placa na parede e achou bem estranho – o certificado apontava que a Pizzatto seria a 689 a ganhar o selo de autenticidade, porém só existem 616 pizzarias no mundo, atualmente, certificadas – e entrou em contato com a sede da associação. Pedi a eles para, depois de notificarem a Pizzatto, enviarem a mim uma cópia do email, que você pode checar abaixo.

Email de notificação extrajudicial da AVPN, pedindo a retirada das placas e citações da AVPN da Pizzatto

Email de notificação extrajudicial da AVPN, pedindo a retirada das placas e citações da AVPN da Pizzatto

Meio chocada com a história – há que se ter MUITA cara de pau e certeza de impunidade -, liguei para os proprietários da pizzaria e para Marcio Serafim, o pizzaiolo, a fim de esclarecer o imbroglio.

Certificado da AVPN falsificado pelo pizzaiolo Marcio Serafim e exposto na pizzaria Pizzatto, em Santana.

Certificado da AVPN falsificado pelo pizzaiolo Marcio Serafim e exposto na pizzaria Pizzatto, em Santana.

Ao atender minha ligação (que foi antecedida por um email), Leo Dargas, sócio da Pizzatto, entrou em estado bem similar a pânico: “Me explica o que está acontecendo?!”, disse, sobressaltado. Expliquei. “Deixei o pizzaiolo colocar as placas na parede porque ele veio todo feliz. Dei os parabéns e tudo!”, fala, surpreso.

Hum, quer dizer que não acha minimamente relevante averiguar a autenticidade de títulos e prêmios que ostenta em seu próprio restaurante? “Não chequei, não. Nunca passou pela minha cabeça que ele estivesse mentindo”, continua. Well, esse argumento faz tanto sentido pra mim quanto isentar de responsabilidade o diretor de um hospital que empregou um falso cirurgião porque ‘confiou tanto nele, ele veio tão feliz com o currículo’.  “Estou chocado. O que vou fazer agora com a matéria que paguei numa revista de gastronomia e traz a foto da placa?”, finaliza, consternado.

“Foi uma cagada. Fiz isso para me valorizar como pizzaiolo e dar mais consultorias”. Essa foi a justificativa de Marcio Serafim. Mas, vem cá, você achou que tudo bem falsificar um certificado internacional e dar a si mesmo prêmios de um concurso inventado? E que ISSO faria de você um profissional mais respeitado no mercado? “Não pensei que fosse ter essa repercussão”, pontua.

Ao ser questionado se não tem vergonha de enganar todos os clientes do local aonde trabalha, forjando uma expertise que não possui, vendendo gato por lebre, Serafim sentencia: “Mas sou um ótimo profissional: vem qualquer dia aqui para provar minha pizza”.

“Não falo que faço pizza napolitana, bem porque a Pizzatto nem tem estrutura pra isso, nem forno, nada”, continua, para minha incredulidade. Ah, não fala que faz pizza napolitana mas usa a PLACA FALSA em TODOS os anúncios da pizzaria! Clique AQUI para ver.

“Provavelmente seja demitido por causa dessa história, mas já tenho convite para ir trabalhar na França. Só estou dizendo isso pra você porque o dono da pizzaria saiu aqui de perto de mim, porque nem avisei ele ainda. Só não fui porque minha família tem medo dos atentados”, complementa.

E aí, queremos saber: se arrepende? “Fiz besteira, tá. Mas tanta gente faz tanta coisa pior e não tem repercussão nenhuma…”, finaliza, numa demonstração explícita do pensamento pontuado pelo ‘jeitinho brasileiro’.
Por que, no fim das contas, feio não é enganar, mentir, inventar: feio é ser pego.