29 de junho de 2015

iStock_000024229302Medium

Você sabe de onde vem a comida que você come? Não estou falando da feira ou do supermercado onde você faz as suas compras, mas da “origem original” do seu alimento: quem planta, quem colhe, o quanto a comida anda até chegar na sua mesa.

O mundo está globalizado, e os alimentos também. Nos dias de hoje não é nada incomum termos acesso a frutas e verduras antes completamente desconhecidas em nossas terras por conta de clima e tipo de solo. Hoje o transporte aéreo, muito rápido, e diversos tipos de conservantes químicos que permitem transporte não tão rápido, nos permite acesso a todo tipo de alimento, de quase qualquer lugar do mundo.

Isso sem contar a industrialização, que adiciona inúmeras etapas ao caminho entre a origem do alimento e a sua mesa, etapas que em geral destroem o alimento por conta de processamentos industriais e adição de química que aumentam o tempo de prateleira e os lucros da indústria.

Esse distanciamento da verdadeira origem dos alimentos pode parecer muito prático, mas as pessoas estão pagando caríssimo por essa praticidade. Estão pagando com a sua saúde. Estão pagando porque já não conhecem mais o gosto da comida.

Comida muito processada perde não só nutrientes, perde o gosto. Mas todo mundo quer comer comida gostosa, então a indústria vai lá e adiciona montanhas de sal, montanhas de açúcar e montanhas de aditivos químicos para fazer aquele alimento morto se parecer novamente com comida de verdade, gostosa como ela deveria ser.

E aí na sua casa você não pode usar sal, você não pode usar nada, porque todos aqueles temperos do dia a dia, desde o tempo das avós e bisavós, fazem mal. Pois é, aquela pitada de sal que deixa a comida gostosa faz mal, todo mundo tem medo, mas aquele moooooonte de sódio e outros aditivos dos enlatados e congelados, só porque vem com grife, com “light”, com “diet”, e com uma embalagem bonita, todo mundo come sem dó e sem medo! Pois saiba, a sua inocente pitada de sal não faz mal algum, desde que ela não venha acompanhada do monte de aditivos dos produtos alimentícios.

Faça sua comida em casa, tempere para ficar gostoso, com sal na quantidade que você acha que fica gostoso , com pimenta, todo tipo de pimenta, e na quantidade que der vontade (que também é outro tabu, e ao contrário do que se pensa, faz é muito bem pra saúde!), com muitas ervas frescas e desidratadas. Deixe sua comida com gosto de comida de verdade, gostosa de verdade. Faça a sua comida ser páreo para os produtos alimentícios!

Para a comida ser gostosa, porém, não basta apenas temperar direito. É preciso um alimento de boa procedência, de preferência comprado direto do produtor, e isso é mais fácil do que parece, a gente precisa apenas sair da nossa zona de conforto!

Se eu, morando numa metrópole como São Paulo, totalmente urbanizada, consigo achar produtos frescos, direto do produtor – orgânico, de preferência -, qualquer um consegue! Mas tem que levantar do sofá e procurar, porque esse tesouro não está nas prateleiras dos supermercados! Comida fresca tem gosto e resulta em pratos muito mais saborosos e nutritivos!

Vai lá, faz um esforço, sai da zona de conforto, e segue em busca de conhecer a origem do que você come! Não arrume desculpas, arrume um jeito e você vai encontrar!

Pat Feldman
Pat Feldman Culinarista

Pat Feldman é culinarista, criadora do projeto Crianças na Cozinha, que visa difundir para o grande público receitas infantis saudáveis, saborosas e livre de industrializados. É também autora do livro de receitas A Dor de Cabeça Morre pela Boca, escrito em parceria com seu marido, o renomado médico Alexandre Feldman.

Para dezenas de dicas de alimentação saudável e receitas, visite o BLOG