Volcano: café/centro cultural com cara de Berlim

Ovos orgânicos com tomate e temperos orientais, acompanhados por pão da padaria artesanal Batard + shake de banana congelada, cacau e nibs: brunch do Volcano

Para alguns pode parecer ‘largado’ demais, mas gosto bem do clima despretensioso/relaxado do Volcano – gosto ainda mais quando o cachorro fofíssimo das proprietárias está tirando uma soneca debaixo de alguma mesa.

Fatia de bolo de cenoura fofinho, com pedaços de avelã

As paredes descascadas, o chão rusticão e os móveis descombinados fazem todo o sentido para o misto de espaço cultural e café inaugurado há poucos meses na Pompeia. O “largadismo”, porém, para no ambiente e é um belo contraponto para o café bem tirado e interessante menu de comidinhas.

Café coado na Hario V60 e Macchiato do Volcano

As sócias, que não eram do mundo do café, fizeram cursos de barista antes de tornar o Volcano realidade. Os excelentes grãos especiais nacionais são moídos na hora, como devem ser. Não há muitas opções de preparo, mas todas são cuidadosas. Prove o coado na Hario (R$ 8) – para mim, o melhor. Há também espresso (R$ 5), macchiato e cappuccino (R$ 6 e R$ 8).

Ambiente despretensioso, rústico e bem berlinense do Volcano, na Pompeia

Durante a semana – de terça à sexta -, fica aberto entre 12h e 21h e oferece menu conciso que inclui fatia de fofinho bolo do dia (R$ 6), cookie (R$ 8) e tostadas, como a de abobrinha, creme de feijão branco e avelãs (R$ 12, ainda precisa evoluir no tempero) e a de tzatziki vegano e tomate confit (R$ 14).

A sensação do café Volcano é a tostada de mix de cogumelos glaceados com pasta de amendoim

A sensação da casa é a tostada de mix de cogumelos glaceados com pasta de amendoim (R$ 16).  A combinação ousadíssima poderia resultar num filme de terror comestível, mas o tom terroso dos cogumelos encontra um par perfeito na untuosidade e leve dulçor do amendoim. Gostei – e muito.

No brunch, aos finais de semana, você pode encontrar Burger de feijão branco e beterraba, picles de manga verde, rúcula, queijo canastra e aioli no brioche

Ao cair da tarde, o café dá lugar a exposições de arte, jantares dançantes, show de jazz, exibição de documentários e toda a sorte de atividades culturais. Poderia, tranquilamente, estar em Berlim… Para programação, confira o Instagram do local.

Do Volcano: descrito como waffle de queijo canastra (R$ 10), está mais para uma panqueca leve como uma pluma, coberta por rústico e saboroso pesto e tomate em pedaços.

É aos finais de semana que o cardápio ganha mais corpo: rola brunch o dia todo, das 10h até as 19hs, com sugestões nada fixas. De vocação mais ‘natureba’ (para mim, essa palavra é elogio), muitas receitas são veganas e vegetarianas, como o shake de banana congelada, cacau e nibs (R$ 10), o suco de de cenoura, maçã e gengibre (R$ 10) e o saboroso Burger de feijão branco e beterraba, picles de manga verde, rúcula, queijo canastra e aioli no bom brioche da padaria artesanal Batard, fornecedor de todos os pães (R$ 18).

Algumas das poucas opções de comidinhas do menu do Volcano:tostadas, como a de abobrinha, creme de feijão branco e avelãs

O Volcano é simpático e totalmente informal. Daqueles lugares que vão sendo feitos na raça e que o passar do tempo só melhora.

Comente

Seja bem-vindo, sua opinião é importante. Comentários ofensivos serão reprovados